Santo Amaro ganha datas comemorativas

Santo Amaro ganha datas comemorativas
Santo Amaro ganha datas comemorativas

Santo Amaro tem sua origem ligada a uma aldeia indígena e é um dos mais antigos de São Paulo. O bairro tem esse nome graças a influência da catequização de índios e evangelização que ocorreu no país poucos anos após sua descoberta. A região passou a ser conhecida como Santo Amaro após uma missa realizada pelo Padre José de Anchieta com uma imagem do Santo, às margens do rio Jeribatiba, atualmente conhecido como Rio Pinheiros.

Em 1832, Santo Amaro se tornou um município, por ter crescido e se desenvolvido como uma cidade, porém, em 1935, o local voltou a ser parte do município de São Paulo. Muitos dos moradores locais encararam essa mudanças como um rebaixamento e não receberam essa transição muito bem.

Hoje em dia, Santo Amaro tem um dos maiores centros urbanos de São Paulo, como no Largo 13 de Maio. Além disso, o bairro abriga o Autódromo de Interlagos e está próximo às localidades do aeroporto de Congonhas.

Entre os principais pontos do bairro de Santo Amaro, ainda estão, a Praça Floriano Peixoto e o Largo 13 de Maio (que além de abrigar a Igreja Matriz, possui um dos mais importantes centros comerciais).

O vereador Zé Turin, que tem uma ligação especial com esse bairro, formulou alguns projetos de lei para causar benfeitorias para o local e elaborou diversas formas de melhorar o o bairro. Três das propostas aprovadas foram: Dia da Romaria dos Cavaleiros do Senhor Bom Jesus, Santo Amaro Country Fest e o Dia da Romaria de Santo Amaro.

Leia também sobre o Dia do Migrante

Dia da Romaria dos Cavaleiros do Senhor Bom Jesus

O Dia da Romaria dos Cavaleiros do Senhor Bom Jesus ocorre todos os anos desde 1920. Tradicionalmente, a romaria se inicia às 8h30, passa pela Igreja de Santo Amaro e segue caminho em direção à ponte João Dias, chegando em Pirapora do Bom Jesus às 20h30 da noite.

Segundo as histórias, a romaria segue rumo a Pirapora do Bom Jesus pois todo peregrino que vai ao município recebe alguma graça. Segungo os romeiros, no fim do século XVII a igreja de Nossa Senhora das Dores, em Bariri (também no interior do Estado de São Paulo) foi saqueada e parte do saque da igreja, onde ficavam armazenadas as imagens que serviriam para futuros aldeamentos, foi jogado pelos assaltantes no rio Tietê.

Um dos objetos jogados no rio, uma imagem de 1,70 metros de altura, apareceu no começo do século XVIII em Pirapora. Após retirada do rio, a imagem foi guardada em um paiol de milho, que pegou fogo, porém nada aconteceu ao monumento. Resolveram, então, levá-la para Santana de Parnaíba, mas ao chegar ao Descanso, o carro de bois que levava a imagem atolou. Foi neste momento que um mudo que passava no lugar falou: “Não adianta levar a imagem pra frente que ela quer ficar aqui”. Surgiu aí a fama de milagreiro do santo. Levaram a imagem de volta a Pirapora, e está guardada até hoje no museu da cidade.

Ao total, são três dias dedicados à Romaria, sendo que o primeiro dia de viagem é na estrada, seguindo o caminho para Pirapora, o segundo dia para descansar os animais, conhecer a cidade, conversar, comprar lembrancinhas e reencontrar amigos e famílias. E, por fim, em Pirapora, é realizada uma missa cantada e uma procissão em homenagem ao Senhor Bom Jesus de Pirapora. No dia seguinte, a comitiva retorna à cidade de São Paulo.

Tudo isso começou há quase cem anos, quando o Cenerino Branco de Araújo resolveu fazer uma penitência, indo à cavalo até a cidade de Bom Jesus do Pirapora, localizada há pouco mais de cinquenta quilômetros da capital paulista. Ele realizou esta penitência em solidariedade aos casos de gripe espanhola, que deixaram mais de 20 milhões de mortos no mundo todo.

Atualmente, esta romaria, que se iniciou por uma razão tão solidária, se tornou uma tradição. Um costume que atinge diversas classes sociais, que move as pessoas pela fé que elas depositam nas benfeitorias que ocorrem graças ao esforço e o clamor.

E é por isso que Zé Turin acredita que manter essa ação cultural é tão importante e que foi de suma importância incentiva-lá através do projeto de lei preserva a romaria.

Santo Amaro Country Fest

O projeto de lei, elaborado por Zé Turin, solicitava que o festival Santo Amaro Country Fest fosse incluído no calendário Oficial de Eventos e que fosse realizado anualmente, a partir da segunda semana de setembro.

O Santo Amaro Country Fest é um evento cultural de grande importância na zona sul de São Paulo, que traz diversidade de entretenimento, opções gastronômicas (com alimentos tradicionais), além da interação entre diversas comunidades e entidades sociais da região de Santo Amaro.

O evento cultural, traz ainda, apresentações artísticas e shows, para tentar promover maior interação da comunidade com atividades culturais.

Ao formalizar o projeto de lei, Zé Turin, teve a intenção, principalmente, de dar continuidade, ampliar e melhorar a qualidade de um evento tão significativo para o bairro de Santo Amaro.

 

Dia da Romaria de Santo Amaro

Ao apresentar o projeto de lei para incluir o Dia da Romaria de Santo Amaro, a intenção de Zé Turin era, mais uma vez, ampliar e incentivar essa festividade tão tradicional e preservar uma tradição tão importante para o local.

A romaria, que acontece desde 1952, é realizada pela Associação Santamarense dos Romeiros do Senhor Bom Jesus de Pirapora. Essa instituição foi fundada com o intuito de sempre incentivar e proteger a prática religiosa da romaria que passa de pais para filhos, avós para netos, gerações para gerações.

Sempre que ocorre esta romaria, muitas pessoas se juntam para participar da tradição, além disso, durante o trajeto, os animais possuem o apoio de veterinários, ferradores, caminhão de apoio e caminhão pipa.

No primeiro dia de romaria, é servido um churrasco para todos os romeiros, no segundo há a realização de uma missa e, além de os antigos e novos participantes trocarem informações sobre suas experiências, são realizadas as barganhas e, pela noite, é servida uma canja, que já é parte da tradição. No ultimo e terceiro dia, mais um churrasco é realizado.

A Romaria de Santo Amaro sai do Largo Boneville, sobe a Alameda Santo Amaro, passa pela Rua Direita, desce a Rua Tenente Coronel, passa pela Avenida João Dias, seguindo viagem pela Estrada dos Romeiros e por fim chegando à Pirapora a noite.

Conheça todos os Projetos de Lei do vereador Zé Turin